Novas receitas

CEO da Dole considerado responsável por US $ 148 milhões em conspiração para orquestrar aquisições mais baratas

CEO da Dole considerado responsável por US $ 148 milhões em conspiração para orquestrar aquisições mais baratas


Um tribunal de Delaware considerou David H. Murdock, o bilionário proprietário da Dole Food Company, culpado de reduzir de forma fraudulenta o preço das ações da empresa para que ele pudesse comprar a empresa por um preço mais baixo. A compra permitiu a Murdock tornar a empresa privada.

Em sua decisão, o vice-chanceler J. Michael Carter, culpado de deturpar o valor das ações da empresa (a 13,50 por ação, em vez de seu valor determinado, $ 16,24). Murdock fez uma oferta inicial de US $ 12 com base nas informações falsas, que um comitê negociou de volta para US $ 13,50 por ação.

“Então, depois que Murdock fez sua proposta, Carter forneceu ao comitê projeções de gerenciamento de baixa qualidade, a decisão continua. “No dia seguinte, em uma reunião secreta que violou os procedimentos estabelecidos pelo comitê, Carter deu aos assessores de Murdock e aos bancos financeiros dados mais positivos e precisos.

“Para seu crédito, o comitê e o Lazard (um banco de investimento) reconheceram que as projeções de Carter não eram confiáveis ​​e se envolveram em esforços hercúleos para superar o déficit de informações, mas não puderam fazê-lo totalmente.

“Ao tomar essas ações, Murdock e Carter privou o comitê da capacidade de negociar com base em informações completas e potencialmente dizer não à fusão, Murdock e Carter também privou os acionistas de sua capacidade de considerar a fusão de forma totalmente informada e potencialmente votar contra. ”

Como resultado de suas maquinações, Murdock e Carter foram obrigados a reembolsar os acionistas da Dole em US $ 148 milhões, o que corresponde a US $ 2,74 por ação. O vice-chanceler Laster também observou que, “embora facialmente grande, o prêmio é conservador em relação ao que as evidências poderiam sustentar”.


Assista o vídeo: Dolly - Dollynho ESTRÉIA Ano 2007. Brasil