ao.mpmn-digital.com
Novas receitas

Diet Soda faz você ganhar peso?

Diet Soda faz você ganhar peso?


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Essas são provavelmente as bebidas mais polêmicas do mercado

O refrigerante diet faz você ganhar peso?

Na última década, as vendas de refrigerantes diet caíram. (em volume) a contabilizar apenas um quarto.

Mas em uma era em que os consumidores estão mais preocupados do que nunca com a contagem de calorias de uma bebida e o teor de açúcar, por que a indústria de refrigerantes diet, com zero caloria, sofreu com esse declínio severo?

Parte da queda na popularidade pode ser explicada pelo grande número de artigos propondo que refrigerante diet está realmente ligado ao ganho de peso. Digite “refrigerante diet e saúde” em qualquer mecanismo de pesquisa e você verá o que quero dizer. Um frequentemente citado estude mostraram uma correlação direta entre a quantidade de refrigerante diet consumido e um aumento na circunferência da cintura em adultos com mais de 65 anos. papel publicado no Yale Journal of Biology and Medicine apoiou essas descobertas com evidências de que os adoçantes artificiais influenciam os sensores de prazer do cérebro de uma forma que aumenta o apetite.

No entanto, nem todos os especialistas concordam que o refrigerante diet causa ganho de peso. Do outro lado do debate dos refrigerantes diet está o pesquisador da obesidade, Dr. Barry Popkin, que alerta que o evidências que conectam o consumo de refrigerante diet ao ganho de peso é amplamente inconclusivo. Popkin, que chefia a divisão de epidemiologia nutricional da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, disse que há poucas evidências que apóiem ​​a teoria de que os adoçantes com zero calorias estimulam o apetite ou contribuem para a obesidade de outras maneiras. Dois estudos amplamente citados com grandes tamanhos de amostra encontraram uma relação entre o consumo de refrigerante diet e o ganho de peso, mas esses estudos foram observacionais, o que significa que variáveis ​​independentes, como os hábitos alimentares dos participantes, não puderam ser controladas. Por exemplo, o fato de que as pessoas podem mudar para refrigerantes diet depois de perceberem o ganho de peso pode distorcer os resultados desses tipos de estudos. UMA meta-análise publicado no American Journal of Clinical Nutrition encontrou “nenhuma associação entre a ingestão de adoçante de baixa caloria e peso corporal ou massa gorda”.

Em outras palavras, o refrigerante diet pode não ser tão ruim para você, e aqueles que mudam do refrigerante normal para as versões de baixa ou nenhuma caloria podem realmente perder um pouco de peso. Por que, então, as vendas diminuíram? Os especialistas apontam vários fatores, incluindo uma preocupação geral com alimentação (e bebida) saudáveis ​​e o crescimento meteórico da popularidade da água engarrafada. Para algumas outras boas razões para quebrar o hábito do refrigerante diet, veja como o refrigerante diet está nos matando lentamente.


4 maneiras pelas quais o refrigerante diet pode fazer você ganhar peso

Recentemente, cortei todo o açúcar adicionado em minha dieta por uma semana inteira. Para meu experimento, também bani adoçantes artificiais. Por quê? Bem, em primeiro lugar, parecia um policial fora de questão. Mas, principalmente, é porque pesquisas emergentes sugerem que as coisas falsas podem ter algumas das mesmas desvantagens do açúcar de verdade - como não ser tão bom para as nossas cinturas.

As bebidas dietéticas, adoçadas com adoçantes artificiais como o aspartame e a sucralose, têm muito poucas calorias ou são isentas de calorias. Estudos recentes sugeriram que eles ainda podem estimular o ganho de peso. A relação é complicada, porém, e bastante controversa.

& quotOs estudos epidemiológicos que examinam a associação entre pessoas que consomem refrigerante diet e peso e aqueles que não os consomem mostram que o consumo está associado a maiores taxas de obesidade e maiores taxas de outras complicações metabólicas, & quot Allison Sylvetsky Meni, Ph.D. ., professor assistente da Escola de Saúde Pública do Milken Institute da Universidade George Washington, disse a SELF. O problema é que esses resultados vêm em grande parte de estudos observacionais e podem sofrer de um viés chamado causação reversa, Vasanti Malik, um cientista pesquisador do departamento de nutrição da Harvard T.H. Escola Chan de Saúde Pública, conta SELF. Causação reversa basicamente significa que é difícil saber se x causou y ou se y realmente causou x. & quotAo olhar para o refrigerante diet, é um problema real. Pessoas que bebem refrigerante diet podem já estar acima do peso ou ter uma doença [metabólica], ”explica Malik. Quando você considera esse relacionamento, precisa ser cético em relação à associação.

Malik também observa que, em comparação com o consumo regular de refrigerantes e outras bebidas açucaradas, as opções de dieta parecem ser melhores. “Quando analisamos isso em Harvard, descobrimos que o refrigerante diet estava associado a menos ganho de peso em comparação com o refrigerante normal”, diz ela. Ela também faz referência a dois ensaios clínicos randomizados e controlados que mostraram menor ganho de peso com dieta de consumo em comparação com dieta regular. “Realmente, as evidências apontam para o benefício do consumo de dieta e manutenção do peso, pelo menos a curto prazo.” Há algumas evidências de que os bebedores de refrigerante diet têm um risco de diabetes tipo 2 semelhante aos bebedores regulares de refrigerante, diz Meni. “Pode ser apenas a ideia de causalidade reversa, e que essas pessoas já estão em risco”, acrescenta ela. Mas provavelmente é uma combinação disso e de algum outro mecanismo.

Embora os dois especialistas concordem que as evidências são esparsas e que mais pesquisas são necessárias (e em andamento), eles citam algumas explicações científicas viáveis ​​para a conexão entre refrigerante diet e ganho de peso. Aqui estão os quatro mais promissores.

“Os adoçantes artificiais são 200 vezes mais doces do que o açúcar comum, então uma preocupação é que, se você consumir essas bebidas, poderá se acostumar com a doçura”, diz Malik. Isso, então, pode influenciá-lo a consumir mais açúcar ou coisas doces em geral, o que evidências sólidas mostram que está relacionado ao ganho de peso. & quotEsta é realmente a razão número um por trás de porque algumas pessoas acreditam que esses adoçantes artificiais podem estar saindo pela culatra. & quot

Uma área de pesquisa se concentra em como os açúcares artificiais ativam os receptores de doçura no cérebro. Nossos corpos esperam que, após um sabor doce, ocorra um influxo de calorias. Mas com adoçantes artificiais, eles não funcionam, então seu cérebro fica confuso. "Quando você ingere açúcares artificiais," obtém aquela sensação doce sem calorias ", explica Meni. Alguns especialistas acreditam que essa desconexão faz com que o corpo anseie pelas calorias que agora acha que estão faltando, levando a comer demais e, por fim, ao ganho de peso.

Comer açúcar sinaliza ao nosso corpo para produzir insulina para processá-lo, e alguns estudos sugeriram que a mesma resposta ocorre mesmo quando comemos as coisas falsas. “Alguns estudos menores mostraram que ele pode realmente promover uma resposta à insulina”, diz Malik, o que significa que seu corpo libera o hormônio em antecipação aos níveis elevados de açúcar no sangue (que, neste caso, nunca ocorre). Com o tempo, a produção excessiva de insulina pode causar resistência à insulina, ganho de peso e diabetes tipo 2. “Mas”, ela acrescenta, “as evidências são realmente muito escassas.” Meni observa que a maioria dos estudos até agora que mostram essa conexão potencial foram feitos em roedores. Um estudo de 2014 sugere uma conexão entre adoçantes artificiais, o microbioma intestinal e a intolerância à glicose. Novamente, os pesquisadores estão intrigados, mas as evidências ainda não são sólidas.

Meni diz que está atualmente envolvida em pesquisas para descobrir por que as pessoas escolhem adoçantes artificiais. & quotPara alguns, & # x27s que, se o fizerem, podem ter aquele cookie extra, o que obviamente anula os efeitos, & quot, Meni diz. Alguns estudos observacionais mostram que as pessoas que consomem refrigerante diet consomem mais calorias e salgadinhos - mas, novamente, a relação real de causa e efeito não é clara.

“Esses adoçantes artificiais têm de zero a algumas calorias e, quando se trata de usá-los como substitutos do refrigerante comum, faz sentido pelo menos a curto prazo”, diz Malik. & quotMas não sabemos a longo prazo quais são as ramificações de consumir esses adoçantes. & quot Se você bebe refrigerante regularmente, ela recomenda mudar para uma dieta para reduzir o risco de ganho de peso e coisas como diabetes tipo 2 - é o menor de dois males. Mas, no final das contas, cortar o refrigerante completamente e aderir ao H2O (normal ou com gás), café e chá é a melhor escolha para sua saúde geral.


4 maneiras pelas quais o refrigerante diet pode fazer você ganhar peso

Recentemente, cortei todo o açúcar adicionado em minha dieta por uma semana inteira. Para meu experimento, também bani adoçantes artificiais. Por quê? Bem, em primeiro lugar, parecia um policial fora de questão. Mas, principalmente, é porque pesquisas emergentes sugerem que as coisas falsas podem ter algumas das mesmas desvantagens do açúcar de verdade - como não ser tão bom para nossas cinturas.

As bebidas dietéticas, adoçadas com adoçantes artificiais como o aspartame e a sucralose, têm muito poucas calorias ou são isentas de calorias. Estudos recentes sugeriram que eles ainda podem estimular o ganho de peso. A relação é complicada, porém, e bastante controversa.

& quotOs estudos epidemiológicos que examinam a associação entre pessoas que consomem refrigerante diet e peso e aqueles que não os consomem mostram que o consumo está associado a maiores taxas de obesidade e maiores taxas de outras complicações metabólicas, & quot Allison Sylvetsky Meni, Ph.D. ., professor assistente da Escola de Saúde Pública do Milken Institute da Universidade George Washington, disse a SELF. O problema é que esses resultados vêm em grande parte de estudos observacionais e podem sofrer de um viés chamado causação reversa, Vasanti Malik, um cientista pesquisador do departamento de nutrição da Harvard T.H. Escola Chan de Saúde Pública, conta SELF. Causação reversa basicamente significa que é difícil saber se x causou y ou se y realmente causou x. & quotAo olhar para o refrigerante diet, é um problema real. Pessoas que bebem refrigerante diet podem já estar acima do peso ou ter uma doença [metabólica], ”explica Malik. Ao considerar esse relacionamento, você deve ser cético em relação à associação.

Malik também observa que, em comparação com o consumo regular de refrigerantes e outras bebidas açucaradas, as opções de dieta parecem ser melhores. “Quando analisamos isso em Harvard, descobrimos que o refrigerante diet estava associado a menos ganho de peso em comparação com o refrigerante normal”, diz ela. Ela também faz referência a dois ensaios clínicos randomizados e controlados que mostraram menor ganho de peso com dieta de consumo em comparação com dieta regular. “Realmente, as evidências apontam para o benefício do consumo de dieta e manutenção do peso pelo menos no curto prazo.” Há algumas evidências de que os bebedores de refrigerante diet têm um risco de diabetes tipo 2 semelhante aos bebedores regulares de refrigerante, diz Meni. “Pode ser apenas a ideia de causalidade reversa, e que essas pessoas já estão em risco”, acrescenta ela. Mas provavelmente é uma combinação disso e de algum outro mecanismo.

Embora os dois especialistas concordem que as evidências são esparsas e que mais pesquisas são necessárias (e em andamento), eles citam algumas explicações científicas viáveis ​​para a conexão entre refrigerante diet e ganho de peso. Aqui estão os quatro mais promissores.

“Os adoçantes artificiais são 200 vezes mais doces do que o açúcar comum, então uma preocupação é que, se você consumir essas bebidas, poderá se acostumar com a doçura”, diz Malik. Isso, então, pode influenciá-lo a consumir mais açúcar ou coisas doces em geral, o que evidências sólidas mostram que está relacionado ao ganho de peso. & quotEsta é realmente a razão número um por trás de porque algumas pessoas acreditam que esses adoçantes artificiais podem estar saindo pela culatra. & quot

Uma área de pesquisa se concentra em como os açúcares artificiais ativam os receptores de doçura no cérebro. Nossos corpos esperam que, após um sabor doce, ocorra um influxo de calorias. Mas com adoçantes artificiais, eles não funcionam, então seu cérebro fica confuso. "Quando você ingere açúcares artificiais," obtém aquela sensação doce sem calorias ", explica Meni. Alguns especialistas acreditam que essa desconexão faz com que o corpo anseie por aquelas calorias que agora acha que estão faltando, levando a uma alimentação excessiva e, por fim, ao ganho de peso.

Comer açúcar sinaliza ao nosso corpo para produzir insulina para processá-lo, e alguns estudos sugeriram que a mesma resposta ocorre mesmo quando comemos as coisas falsas. “Alguns estudos menores mostraram que ele pode realmente promover uma resposta à insulina”, diz Malik, o que significa que seu corpo libera o hormônio em antecipação aos níveis elevados de açúcar no sangue (que, neste caso, nunca acontece). Com o tempo, a produção excessiva de insulina pode causar resistência à insulina, ganho de peso e diabetes tipo 2. “Mas”, ela acrescenta, “as evidências são realmente muito escassas.” Meni observa que a maioria dos estudos até agora que mostram essa conexão potencial foram feitos em roedores. Um estudo de 2014 sugere uma conexão entre adoçantes artificiais, o microbioma intestinal e a intolerância à glicose. Novamente, os pesquisadores estão intrigados, mas as evidências ainda não são sólidas.

Meni diz que está atualmente envolvida em pesquisas para descobrir por que as pessoas escolhem adoçantes artificiais. & quotPara alguns, & # x27s que, se o fizerem, podem ter aquele cookie extra, o que obviamente anula os efeitos, & quot, Meni diz. Alguns estudos observacionais mostram que as pessoas que consomem refrigerante diet consomem mais calorias e salgadinhos - mas, novamente, a relação real de causa e efeito não é clara.

“Esses adoçantes artificiais têm de zero a algumas calorias e, quando se trata de usá-los como substitutos do refrigerante comum, faz sentido pelo menos a curto prazo”, diz Malik. & quotMas não sabemos a longo prazo quais são as ramificações de consumir esses adoçantes. & quot Se você bebe refrigerante regularmente, ela recomenda mudar para uma dieta para reduzir o risco de ganho de peso e coisas como diabetes tipo 2 - é o menor de dois males. Mas, no final das contas, cortar o refrigerante completamente e aderir ao H2O (normal ou com gás), café e chá é a melhor escolha para sua saúde geral.


4 maneiras pelas quais o refrigerante diet pode fazer você ganhar peso

Recentemente, cortei todo o açúcar adicionado em minha dieta por uma semana inteira. Para meu experimento, também bani adoçantes artificiais. Por quê? Bem, em primeiro lugar, parecia um policial fora de questão. Mas, principalmente, é porque pesquisas emergentes sugerem que as coisas falsas podem ter algumas das mesmas desvantagens do açúcar de verdade - como não ser tão bom para as nossas cinturas.

As bebidas dietéticas, adoçadas com adoçantes artificiais como o aspartame e a sucralose, têm muito poucas calorias ou são isentas de calorias. Estudos recentes sugeriram que eles ainda podem estimular o ganho de peso. A relação é complicada, porém, e bastante controversa.

& quotOs estudos epidemiológicos que examinam a associação entre pessoas que consomem refrigerante diet e peso e aqueles que não os consomem mostram que o consumo está associado a maiores taxas de obesidade e maiores taxas de outras complicações metabólicas, & quot Allison Sylvetsky Meni, Ph.D. ., professor assistente da Escola de Saúde Pública do Milken Institute da Universidade George Washington, disse a SELF. O problema é que esses resultados vêm em grande parte de estudos observacionais e podem sofrer de um viés chamado causação reversa, Vasanti Malik, um cientista pesquisador do departamento de nutrição da Harvard T.H. Escola Chan de Saúde Pública, conta SELF. Causação reversa basicamente significa que é difícil saber se x causou y ou se y realmente causou x. & quotAo olhar para o refrigerante diet, é um problema real. Pessoas que bebem refrigerante diet podem já estar acima do peso ou ter uma doença [metabólica], ”explica Malik. Ao considerar esse relacionamento, você deve ser cético em relação à associação.

Malik também observa que, em comparação com o consumo regular de refrigerantes e outras bebidas açucaradas, as opções de dieta parecem ser melhores. “Quando analisamos isso em Harvard, descobrimos que o refrigerante diet estava associado a menos ganho de peso em comparação com o refrigerante normal”, diz ela. Ela também faz referência a dois ensaios clínicos randomizados e controlados que mostraram menor ganho de peso com dieta de consumo em comparação com dieta regular. “Realmente, as evidências apontam para o benefício do consumo de dieta e manutenção do peso, pelo menos a curto prazo.” Há algumas evidências de que os bebedores de refrigerante diet têm um risco de diabetes tipo 2 semelhante aos bebedores regulares de refrigerante, diz Meni. “Pode ser apenas a ideia de causalidade reversa, e que essas pessoas já estão em risco”, acrescenta ela. Mas provavelmente é uma combinação disso e de algum outro mecanismo.

Embora os dois especialistas concordem que as evidências são esparsas e que mais pesquisas são necessárias (e em andamento), eles citam algumas explicações científicas viáveis ​​para a conexão entre refrigerante diet e ganho de peso. Aqui estão os quatro mais promissores.

“Os adoçantes artificiais são 200 vezes mais doces do que o açúcar comum, então uma preocupação é que, se você consumir essas bebidas, poderá se acostumar com a doçura”, diz Malik. Isso, então, pode influenciá-lo a consumir mais açúcar ou coisas doces em geral, o que evidências sólidas mostram que está relacionado ao ganho de peso. & quotEsta é realmente a razão número um por trás de porque algumas pessoas acreditam que esses adoçantes artificiais podem estar saindo pela culatra. & quot

Uma área de pesquisa se concentra em como os açúcares artificiais ativam os receptores de doçura no cérebro. Nossos corpos esperam que, após um sabor doce, ocorra um influxo de calorias. Mas com adoçantes artificiais, eles não funcionam, então seu cérebro fica confuso. "Quando você ingere açúcares artificiais," obtém aquela sensação doce sem calorias ", explica Meni. Alguns especialistas acreditam que essa desconexão faz com que o corpo anseie pelas calorias que agora acha que estão faltando, levando a comer demais e, por fim, ao ganho de peso.

Comer açúcar sinaliza ao nosso corpo para produzir insulina para processá-lo, e alguns estudos sugeriram que a mesma resposta ocorre mesmo quando comemos as coisas falsas. “Alguns estudos menores mostraram que ele pode realmente promover uma resposta à insulina”, diz Malik, o que significa que seu corpo libera o hormônio em antecipação aos níveis elevados de açúcar no sangue (que, neste caso, nunca acontece). Com o tempo, a produção excessiva de insulina pode causar resistência à insulina, ganho de peso e diabetes tipo 2. “Mas”, ela acrescenta, “as evidências são realmente muito escassas.” Meni observa que a maioria dos estudos até agora que mostram essa conexão potencial foram feitos em roedores. Um estudo de 2014 sugere uma conexão entre adoçantes artificiais, o microbioma intestinal e a intolerância à glicose. Novamente, os pesquisadores estão intrigados, mas as evidências ainda não são sólidas.

Meni diz que está atualmente envolvida em pesquisas para descobrir por que as pessoas escolhem adoçantes artificiais. & quotPara alguns, & # x27s que, se o fizerem, podem ter aquele cookie extra, o que obviamente anula os efeitos, & quot, Meni diz. Alguns estudos observacionais mostram que as pessoas que consomem refrigerante diet consomem mais calorias e salgadinhos - mas, novamente, a relação real de causa e efeito não é clara.

“Esses adoçantes artificiais têm de zero a algumas calorias e, quando se trata de usá-los como substitutos do refrigerante comum, faz sentido pelo menos a curto prazo”, diz Malik. & quotMas não sabemos a longo prazo quais são as ramificações de consumir esses adoçantes. & quot Se você bebe refrigerante regularmente, ela recomenda mudar para uma dieta para reduzir o risco de ganho de peso e coisas como diabetes tipo 2 - é o menor de dois males. Mas, no final das contas, cortar o refrigerante completamente e aderir ao H2O (normal ou com gás), café e chá é a melhor escolha para sua saúde geral.


4 maneiras pelas quais o refrigerante diet pode fazer você ganhar peso

Recentemente, cortei todo o açúcar adicionado em minha dieta por uma semana inteira. Para meu experimento, também bani adoçantes artificiais. Por quê? Bem, em primeiro lugar, parecia um policial fora de questão. Mas, principalmente, é porque pesquisas emergentes sugerem que as coisas falsas podem ter algumas das mesmas desvantagens do açúcar de verdade - como não ser tão bom para nossas cinturas.

As bebidas dietéticas, adoçadas com adoçantes artificiais como o aspartame e a sucralose, têm muito poucas calorias ou são isentas de calorias. Estudos recentes sugeriram que eles ainda podem estimular o ganho de peso. A relação é complicada, porém, e bastante controversa.

& quotOs estudos epidemiológicos que examinam a associação entre pessoas que consomem refrigerante diet e peso e aqueles que não os consomem mostram que o consumo está associado a maiores taxas de obesidade e maiores taxas de outras complicações metabólicas, & quot Allison Sylvetsky Meni, Ph.D. ., professor assistente da Escola de Saúde Pública do Milken Institute da Universidade George Washington, disse a SELF. O problema é que esses resultados vêm em grande parte de estudos observacionais e podem sofrer de um viés chamado causação reversa, Vasanti Malik, um cientista pesquisador do departamento de nutrição da Harvard T.H. Escola Chan de Saúde Pública, conta SELF. Causação reversa basicamente significa que é difícil saber se x causou y ou se y realmente causou x. & quotAo olhar para o refrigerante diet, é um problema real. Pessoas que bebem refrigerante diet podem já estar acima do peso ou ter uma doença [metabólica], ”explica Malik. Quando você considera esse relacionamento, precisa ser cético em relação à associação.

Malik também observa que, em comparação com o consumo regular de refrigerantes e outras bebidas açucaradas, as opções de dieta parecem ser melhores. “Quando analisamos isso em Harvard, descobrimos que o refrigerante diet estava associado a menos ganho de peso em comparação com o refrigerante normal”, diz ela. Ela também faz referência a dois ensaios clínicos randomizados e controlados que mostraram menor ganho de peso com dieta de consumo em comparação com dieta regular. “Realmente, as evidências apontam para o benefício do consumo de dieta e manutenção do peso pelo menos no curto prazo.” Há algumas evidências de que os bebedores de refrigerante diet têm um risco de diabetes tipo 2 semelhante aos bebedores regulares de refrigerante, diz Meni. “Pode ser apenas a ideia de causalidade reversa, e que essas pessoas já estão em risco”, acrescenta ela. Mas provavelmente é uma combinação disso e de algum outro mecanismo.

Embora os dois especialistas concordem que as evidências são esparsas e que mais pesquisas são necessárias (e em andamento), eles citam algumas explicações científicas viáveis ​​para a conexão entre refrigerante diet e ganho de peso. Aqui estão os quatro mais promissores.

“Os adoçantes artificiais são 200 vezes mais doces do que o açúcar comum, então uma preocupação é que, se você consumir essas bebidas, poderá se acostumar com a doçura”, diz Malik. Isso, então, pode influenciá-lo a consumir mais açúcar ou coisas doces em geral, o que evidências sólidas mostram que está relacionado ao ganho de peso. & quotEsta é realmente a razão número um por trás de porque algumas pessoas acreditam que esses adoçantes artificiais podem estar saindo pela culatra. & quot

Uma área de pesquisa se concentra em como os açúcares artificiais ativam os receptores de doçura no cérebro. Nossos corpos esperam que, após um sabor doce, ocorra um influxo de calorias. Mas com adoçantes artificiais, eles não funcionam, então seu cérebro fica confuso. "Quando você ingere açúcares artificiais," obtém aquela sensação doce sem calorias ", explica Meni. Alguns especialistas acreditam que essa desconexão faz com que o corpo anseie por aquelas calorias que agora acha que estão faltando, levando a uma alimentação excessiva e, por fim, ao ganho de peso.

Comer açúcar sinaliza ao nosso corpo para produzir insulina para processá-lo, e alguns estudos sugeriram que a mesma resposta ocorre mesmo quando comemos as coisas falsas. “Alguns estudos menores mostraram que ele pode realmente promover uma resposta à insulina”, diz Malik, o que significa que seu corpo libera o hormônio em antecipação aos níveis elevados de açúcar no sangue (que, neste caso, nunca acontece). Com o tempo, a produção excessiva de insulina pode causar resistência à insulina, ganho de peso e diabetes tipo 2. “Mas”, ela acrescenta, “as evidências são realmente muito escassas.” Meni observa que a maioria dos estudos até agora que mostram essa conexão potencial foram feitos em roedores. Um estudo de 2014 sugere uma conexão entre adoçantes artificiais, o microbioma intestinal e a intolerância à glicose. Novamente, os pesquisadores estão intrigados, mas as evidências ainda não são sólidas.

Meni diz que está atualmente envolvida em pesquisas para descobrir por que as pessoas escolhem adoçantes artificiais. & quotPara alguns, & # x27s que, se o fizerem, podem ter aquele cookie extra, o que obviamente anula os efeitos, & quot, Meni diz. Alguns estudos observacionais mostram que as pessoas que consomem refrigerante diet consomem mais calorias e salgadinhos - mas, novamente, a relação real de causa e efeito não é clara.

“Esses adoçantes artificiais têm de zero a algumas calorias e, quando se trata de usá-los como substitutos do refrigerante comum, faz sentido pelo menos a curto prazo”, diz Malik. & quotMas não sabemos a longo prazo quais são as ramificações de consumir esses adoçantes. & quot Se você bebe refrigerante regularmente, ela recomenda mudar para uma dieta para reduzir o risco de ganho de peso e coisas como diabetes tipo 2 - é menor de dois males. Mas, no final das contas, cortar o refrigerante completamente e aderir ao H2O (normal ou com gás), café e chá é a melhor escolha para sua saúde geral.


4 maneiras pelas quais o refrigerante diet pode fazer você ganhar peso

Recentemente, cortei todo o açúcar adicionado em minha dieta por uma semana inteira. Para meu experimento, também bani adoçantes artificiais. Por quê? Bem, em primeiro lugar, parecia um policial fora de questão. Mas, principalmente, é porque pesquisas emergentes sugerem que as coisas falsas podem ter algumas das mesmas desvantagens do açúcar de verdade - como não ser tão bom para as nossas cinturas.

As bebidas dietéticas, adoçadas com adoçantes artificiais como o aspartame e a sucralose, têm muito poucas calorias ou são isentas de calorias. Estudos recentes sugeriram que eles ainda podem estimular o ganho de peso. A relação é complicada, porém, e bastante controversa.

& quotOs estudos epidemiológicos que examinam a associação entre pessoas que consomem refrigerante diet e peso e aqueles que não os consomem mostram que o consumo está associado a maiores taxas de obesidade e maiores taxas de outras complicações metabólicas, & quot Allison Sylvetsky Meni, Ph.D. ., professor assistente da Escola de Saúde Pública do Milken Institute da Universidade George Washington, disse a SELF. O problema é que esses resultados vêm em grande parte de estudos observacionais e podem sofrer de um viés chamado causação reversa, Vasanti Malik, um cientista pesquisador do departamento de nutrição da Harvard T.H. Escola Chan de Saúde Pública, conta SELF. Causação reversa basicamente significa que é difícil saber se x causou y ou se y realmente causou x. & quotAo olhar para o refrigerante diet, é um problema real. Pessoas que bebem refrigerante diet podem já estar acima do peso ou ter uma doença [metabólica], ”explica Malik. Ao considerar esse relacionamento, você deve ser cético em relação à associação.

Malik também observa que, em comparação com o consumo regular de refrigerantes e outras bebidas açucaradas, as opções de dieta parecem ser melhores. “Quando analisamos isso em Harvard, descobrimos que o refrigerante diet estava associado a menos ganho de peso em comparação com o refrigerante normal”, diz ela. Ela também faz referência a dois ensaios clínicos randomizados e controlados que mostraram menor ganho de peso com dieta de consumo em comparação com dieta regular. “Realmente, as evidências apontam para o benefício do consumo de dieta e manutenção do peso, pelo menos a curto prazo.” Há algumas evidências de que os bebedores de refrigerante diet têm um risco de diabetes tipo 2 semelhante aos bebedores regulares de refrigerante, diz Meni. “Pode ser apenas a ideia de causalidade reversa, e que essas pessoas já estão em risco”, acrescenta ela. Mas provavelmente é uma combinação disso e de algum outro mecanismo.

Embora os dois especialistas concordem que as evidências são esparsas e que mais pesquisas são necessárias (e em andamento), eles citam algumas explicações científicas viáveis ​​para a conexão entre refrigerante diet e ganho de peso. Aqui estão os quatro mais promissores.

“Os adoçantes artificiais são 200 vezes mais doces do que o açúcar comum, então uma preocupação é que, se você consumir essas bebidas, poderá se acostumar com a doçura”, diz Malik. Isso, então, pode influenciá-lo a consumir mais açúcar ou coisas doces em geral, o que evidências sólidas mostram que está relacionado ao ganho de peso. & quotEsta é realmente a razão número um por trás de porque algumas pessoas acreditam que esses adoçantes artificiais podem estar saindo pela culatra. & quot

Uma área de pesquisa se concentra em como os açúcares artificiais ativam os receptores de doçura no cérebro. Nossos corpos esperam que, após um sabor doce, ocorra um influxo de calorias. Mas com adoçantes artificiais, eles não funcionam, então seu cérebro fica confuso. "Quando você ingere açúcares artificiais," obtém aquela sensação doce sem calorias ", explica Meni. Alguns especialistas acreditam que essa desconexão faz com que o corpo anseie pelas calorias que agora acha que estão faltando, levando a comer demais e, por fim, ao ganho de peso.

Comer açúcar sinaliza ao nosso corpo para produzir insulina para processá-lo, e alguns estudos sugeriram que a mesma resposta ocorre mesmo quando comemos as coisas falsas. “Alguns estudos menores mostraram que ele pode realmente promover uma resposta à insulina”, diz Malik, o que significa que seu corpo libera o hormônio em antecipação aos níveis elevados de açúcar no sangue (que, neste caso, nunca acontece). Com o tempo, a produção excessiva de insulina pode causar resistência à insulina, ganho de peso e diabetes tipo 2. “Mas”, ela acrescenta, “as evidências são realmente muito escassas.” Meni observa que a maioria dos estudos até agora que mostram essa conexão potencial foram feitos em roedores. Um estudo de 2014 sugere uma conexão entre adoçantes artificiais, o microbioma intestinal e a intolerância à glicose. Novamente, os pesquisadores estão intrigados, mas as evidências ainda não são sólidas.

Meni diz que está atualmente envolvida em pesquisas para descobrir por que as pessoas escolhem adoçantes artificiais. & quotPara alguns, & # x27s que, se o fizerem, podem ter aquele cookie extra, o que obviamente anula os efeitos, & quot, Meni diz. Alguns estudos observacionais mostram que as pessoas que consomem refrigerante diet consomem mais calorias e salgadinhos - mas, novamente, a relação real de causa e efeito não é clara.

“Esses adoçantes artificiais têm de zero a algumas calorias e, quando se trata de usá-los como substitutos do refrigerante comum, faz sentido pelo menos no curto prazo”, diz Malik. & quotMas não sabemos a longo prazo quais são as ramificações de consumir esses adoçantes. & quot Se você bebe refrigerante regularmente, ela recomenda mudar para uma dieta para reduzir o risco de ganho de peso e coisas como diabetes tipo 2 - é o menor de dois males. Mas, no final das contas, cortar o refrigerante completamente e aderir ao H2O (normal ou com gás), café e chá é a melhor escolha para sua saúde geral.


4 maneiras pelas quais o refrigerante diet pode fazer você ganhar peso

Recentemente, cortei todo o açúcar adicionado em minha dieta por uma semana inteira. Para meu experimento, também bani adoçantes artificiais. Por quê? Bem, em primeiro lugar, parecia um policial fora de questão. But mostly, it's because emerging research suggests the fake stuff can have some of the same drawbacks as real sugar—like being not so great for our waistlines.

Diet drinks, sweetened with artificial sweeteners like aspartame and sucralose, are either very low calorie or calorie free. Recent studies have suggested that they may still encourage weight gain. The relationship is complicated, though, and pretty controversial.

"The epidemiological studies looking at the association between people who consume diet soda and weight and those who don’t consume it typically show that consuming is associated with higher rates of obesity and higher rates of other metabolic complications," Allison Sylvetsky Meni, Ph.D., assistant professor at the Milken Institute School of Public Health at The George Washington University, tells SELF. The problem is that these results come largely from observational studies and may suffer from a bias called reverse causation, Vasanti Malik, a research scientist in the department of nutrition at Harvard T.H. Chan School of Public Health, tells SELF. Reverse causation basically means that it's difficult to know if x caused y or if y actually caused x. "When looking at diet soda it’s a real issue. People who drink diet soda may already be overweight or have a [metabolic] disease," Malik explains. When you consider that relationship, you have to be skeptical of the association.

Malik also notes that compared to drinking regular sodas and other sugary drinks, diet options seem to be better. "When we looked at this at Harvard, we found that diet soda was associated with less weight gain compared to regular soda," she says. She also references two randomized, controlled trials that showed less weight gain drinking diet vs regular. "Really, the evidence is pointing to benefit of diet consumption and weight maintenance at least in the short term." There is some evidence that diet soda drinkers have a similar type 2 diabetes risk to regular soda drinkers, Meni says. "It could just be the idea of reverse causality, and that those people are already at risk," she adds. But it's likely a combo of that and some other mechanism.

Though both experts agree the evidence is sparse and more research is needed (and in progress), they cite a few viable scientific explanations for the connection between diet soda and weight gain. Here are the most promising four.

"Artificial sweeteners are 200-plus times sweeter than regular sugar, so one concern is that if you consume these drinks, you might become habituated toward sweetness," Malik says. This then might influence you to consume more sugar or sweet things in general, which rock-solid evidence shows is linked to weight gain. "That’s really the number one rationale behind why some people believe these artificial sweeteners might be backfiring."

One area of research focuses on how artificial sugars trigger sweetness receptors in the brain. Our bodies expect that after a sweet taste, an influx of calories will follow. But with artificial sweeteners, they don't, so your brain gets confused. "When you have artificial sugars, you're getting that sweet sensation without calories," Meni explains. Some experts believe this disconnect leaves the body craving those calories it now thinks are missing, leading to overeating and ultimately, weight gain.

Eating sugar signals our bodies to produce insulin to process it, and some studies have suggested that the same response happens even when we eat the fake stuff. "Some smaller studies have shown it might actually promote an insulin response," Malik says, which means that your body releases the hormone in anticipation of raised sugar levels in the blood (that in this case, never comes). Over time, too much insulin output can lead to insulin-resistance, weight gain, and type 2 diabetes. "But,” she adds, “the evidence is really quite thin." Meni notes that most of the studies thus far that show this potential connection have been done on rodents. One study from 2014 suggests a connection between artificial sweeteners, the gut microbiome, and glucose intolerance. Again, researchers are intrigued, but the evidence isn't solid yet.

Meni says that she's currently involved in research looking at why people choose artificial sweeteners. "For some, it's that if they do, they can have that extra cookie, which obviously negates the effects," Meni says. Some observational studies show people who consume diet soda consume more calories and snack foods—but again, the actual cause-and-effect relationship is unclear.

"These artificial sweeteners have zero to a few calories, and when it comes to using them as a replacement for regular soda, it makes sense at least in the short term," Malik says. "But we don’t know long term what the ramifications are of consuming these sweeteners." If you drink soda regularly, she recommends switching to diet to reduce the risk of weight gain and things like type 2 diabetes—it's the lesser of two evils. But ultimately, cutting soda out completely and sticking to H2O (regular or seltzer), coffee, and tea is the best choice for your overall health.


4 Ways Diet Soda Could Make You Gain Weight

Recently, I cut all added sugar from my diet for an entire week. For my experiment, I also banned artificial sweeteners. Por quê? Well, first of all, it felt like a cop out. But mostly, it's because emerging research suggests the fake stuff can have some of the same drawbacks as real sugar—like being not so great for our waistlines.

Diet drinks, sweetened with artificial sweeteners like aspartame and sucralose, are either very low calorie or calorie free. Recent studies have suggested that they may still encourage weight gain. The relationship is complicated, though, and pretty controversial.

"The epidemiological studies looking at the association between people who consume diet soda and weight and those who don’t consume it typically show that consuming is associated with higher rates of obesity and higher rates of other metabolic complications," Allison Sylvetsky Meni, Ph.D., assistant professor at the Milken Institute School of Public Health at The George Washington University, tells SELF. The problem is that these results come largely from observational studies and may suffer from a bias called reverse causation, Vasanti Malik, a research scientist in the department of nutrition at Harvard T.H. Chan School of Public Health, tells SELF. Reverse causation basically means that it's difficult to know if x caused y or if y actually caused x. "When looking at diet soda it’s a real issue. People who drink diet soda may already be overweight or have a [metabolic] disease," Malik explains. When you consider that relationship, you have to be skeptical of the association.

Malik also notes that compared to drinking regular sodas and other sugary drinks, diet options seem to be better. "When we looked at this at Harvard, we found that diet soda was associated with less weight gain compared to regular soda," she says. She also references two randomized, controlled trials that showed less weight gain drinking diet vs regular. "Really, the evidence is pointing to benefit of diet consumption and weight maintenance at least in the short term." There is some evidence that diet soda drinkers have a similar type 2 diabetes risk to regular soda drinkers, Meni says. "It could just be the idea of reverse causality, and that those people are already at risk," she adds. But it's likely a combo of that and some other mechanism.

Though both experts agree the evidence is sparse and more research is needed (and in progress), they cite a few viable scientific explanations for the connection between diet soda and weight gain. Here are the most promising four.

"Artificial sweeteners are 200-plus times sweeter than regular sugar, so one concern is that if you consume these drinks, you might become habituated toward sweetness," Malik says. This then might influence you to consume more sugar or sweet things in general, which rock-solid evidence shows is linked to weight gain. "That’s really the number one rationale behind why some people believe these artificial sweeteners might be backfiring."

One area of research focuses on how artificial sugars trigger sweetness receptors in the brain. Our bodies expect that after a sweet taste, an influx of calories will follow. But with artificial sweeteners, they don't, so your brain gets confused. "When you have artificial sugars, you're getting that sweet sensation without calories," Meni explains. Some experts believe this disconnect leaves the body craving those calories it now thinks are missing, leading to overeating and ultimately, weight gain.

Eating sugar signals our bodies to produce insulin to process it, and some studies have suggested that the same response happens even when we eat the fake stuff. "Some smaller studies have shown it might actually promote an insulin response," Malik says, which means that your body releases the hormone in anticipation of raised sugar levels in the blood (that in this case, never comes). Over time, too much insulin output can lead to insulin-resistance, weight gain, and type 2 diabetes. "But,” she adds, “the evidence is really quite thin." Meni notes that most of the studies thus far that show this potential connection have been done on rodents. One study from 2014 suggests a connection between artificial sweeteners, the gut microbiome, and glucose intolerance. Again, researchers are intrigued, but the evidence isn't solid yet.

Meni says that she's currently involved in research looking at why people choose artificial sweeteners. "For some, it's that if they do, they can have that extra cookie, which obviously negates the effects," Meni says. Some observational studies show people who consume diet soda consume more calories and snack foods—but again, the actual cause-and-effect relationship is unclear.

"These artificial sweeteners have zero to a few calories, and when it comes to using them as a replacement for regular soda, it makes sense at least in the short term," Malik says. "But we don’t know long term what the ramifications are of consuming these sweeteners." If you drink soda regularly, she recommends switching to diet to reduce the risk of weight gain and things like type 2 diabetes—it's the lesser of two evils. But ultimately, cutting soda out completely and sticking to H2O (regular or seltzer), coffee, and tea is the best choice for your overall health.


4 Ways Diet Soda Could Make You Gain Weight

Recently, I cut all added sugar from my diet for an entire week. For my experiment, I also banned artificial sweeteners. Por quê? Well, first of all, it felt like a cop out. But mostly, it's because emerging research suggests the fake stuff can have some of the same drawbacks as real sugar—like being not so great for our waistlines.

Diet drinks, sweetened with artificial sweeteners like aspartame and sucralose, are either very low calorie or calorie free. Recent studies have suggested that they may still encourage weight gain. The relationship is complicated, though, and pretty controversial.

"The epidemiological studies looking at the association between people who consume diet soda and weight and those who don’t consume it typically show that consuming is associated with higher rates of obesity and higher rates of other metabolic complications," Allison Sylvetsky Meni, Ph.D., assistant professor at the Milken Institute School of Public Health at The George Washington University, tells SELF. The problem is that these results come largely from observational studies and may suffer from a bias called reverse causation, Vasanti Malik, a research scientist in the department of nutrition at Harvard T.H. Chan School of Public Health, tells SELF. Reverse causation basically means that it's difficult to know if x caused y or if y actually caused x. "When looking at diet soda it’s a real issue. People who drink diet soda may already be overweight or have a [metabolic] disease," Malik explains. When you consider that relationship, you have to be skeptical of the association.

Malik also notes that compared to drinking regular sodas and other sugary drinks, diet options seem to be better. "When we looked at this at Harvard, we found that diet soda was associated with less weight gain compared to regular soda," she says. She also references two randomized, controlled trials that showed less weight gain drinking diet vs regular. "Really, the evidence is pointing to benefit of diet consumption and weight maintenance at least in the short term." There is some evidence that diet soda drinkers have a similar type 2 diabetes risk to regular soda drinkers, Meni says. "It could just be the idea of reverse causality, and that those people are already at risk," she adds. But it's likely a combo of that and some other mechanism.

Though both experts agree the evidence is sparse and more research is needed (and in progress), they cite a few viable scientific explanations for the connection between diet soda and weight gain. Here are the most promising four.

"Artificial sweeteners are 200-plus times sweeter than regular sugar, so one concern is that if you consume these drinks, you might become habituated toward sweetness," Malik says. This then might influence you to consume more sugar or sweet things in general, which rock-solid evidence shows is linked to weight gain. "That’s really the number one rationale behind why some people believe these artificial sweeteners might be backfiring."

One area of research focuses on how artificial sugars trigger sweetness receptors in the brain. Our bodies expect that after a sweet taste, an influx of calories will follow. But with artificial sweeteners, they don't, so your brain gets confused. "When you have artificial sugars, you're getting that sweet sensation without calories," Meni explains. Some experts believe this disconnect leaves the body craving those calories it now thinks are missing, leading to overeating and ultimately, weight gain.

Eating sugar signals our bodies to produce insulin to process it, and some studies have suggested that the same response happens even when we eat the fake stuff. "Some smaller studies have shown it might actually promote an insulin response," Malik says, which means that your body releases the hormone in anticipation of raised sugar levels in the blood (that in this case, never comes). Over time, too much insulin output can lead to insulin-resistance, weight gain, and type 2 diabetes. "But,” she adds, “the evidence is really quite thin." Meni notes that most of the studies thus far that show this potential connection have been done on rodents. One study from 2014 suggests a connection between artificial sweeteners, the gut microbiome, and glucose intolerance. Again, researchers are intrigued, but the evidence isn't solid yet.

Meni says that she's currently involved in research looking at why people choose artificial sweeteners. "For some, it's that if they do, they can have that extra cookie, which obviously negates the effects," Meni says. Some observational studies show people who consume diet soda consume more calories and snack foods—but again, the actual cause-and-effect relationship is unclear.

"These artificial sweeteners have zero to a few calories, and when it comes to using them as a replacement for regular soda, it makes sense at least in the short term," Malik says. "But we don’t know long term what the ramifications are of consuming these sweeteners." If you drink soda regularly, she recommends switching to diet to reduce the risk of weight gain and things like type 2 diabetes—it's the lesser of two evils. But ultimately, cutting soda out completely and sticking to H2O (regular or seltzer), coffee, and tea is the best choice for your overall health.


4 Ways Diet Soda Could Make You Gain Weight

Recently, I cut all added sugar from my diet for an entire week. For my experiment, I also banned artificial sweeteners. Por quê? Well, first of all, it felt like a cop out. But mostly, it's because emerging research suggests the fake stuff can have some of the same drawbacks as real sugar—like being not so great for our waistlines.

Diet drinks, sweetened with artificial sweeteners like aspartame and sucralose, are either very low calorie or calorie free. Recent studies have suggested that they may still encourage weight gain. The relationship is complicated, though, and pretty controversial.

"The epidemiological studies looking at the association between people who consume diet soda and weight and those who don’t consume it typically show that consuming is associated with higher rates of obesity and higher rates of other metabolic complications," Allison Sylvetsky Meni, Ph.D., assistant professor at the Milken Institute School of Public Health at The George Washington University, tells SELF. The problem is that these results come largely from observational studies and may suffer from a bias called reverse causation, Vasanti Malik, a research scientist in the department of nutrition at Harvard T.H. Chan School of Public Health, tells SELF. Reverse causation basically means that it's difficult to know if x caused y or if y actually caused x. "When looking at diet soda it’s a real issue. People who drink diet soda may already be overweight or have a [metabolic] disease," Malik explains. When you consider that relationship, you have to be skeptical of the association.

Malik also notes that compared to drinking regular sodas and other sugary drinks, diet options seem to be better. "When we looked at this at Harvard, we found that diet soda was associated with less weight gain compared to regular soda," she says. She also references two randomized, controlled trials that showed less weight gain drinking diet vs regular. "Really, the evidence is pointing to benefit of diet consumption and weight maintenance at least in the short term." There is some evidence that diet soda drinkers have a similar type 2 diabetes risk to regular soda drinkers, Meni says. "It could just be the idea of reverse causality, and that those people are already at risk," she adds. But it's likely a combo of that and some other mechanism.

Though both experts agree the evidence is sparse and more research is needed (and in progress), they cite a few viable scientific explanations for the connection between diet soda and weight gain. Here are the most promising four.

"Artificial sweeteners are 200-plus times sweeter than regular sugar, so one concern is that if you consume these drinks, you might become habituated toward sweetness," Malik says. This then might influence you to consume more sugar or sweet things in general, which rock-solid evidence shows is linked to weight gain. "That’s really the number one rationale behind why some people believe these artificial sweeteners might be backfiring."

One area of research focuses on how artificial sugars trigger sweetness receptors in the brain. Our bodies expect that after a sweet taste, an influx of calories will follow. But with artificial sweeteners, they don't, so your brain gets confused. "When you have artificial sugars, you're getting that sweet sensation without calories," Meni explains. Some experts believe this disconnect leaves the body craving those calories it now thinks are missing, leading to overeating and ultimately, weight gain.

Eating sugar signals our bodies to produce insulin to process it, and some studies have suggested that the same response happens even when we eat the fake stuff. "Some smaller studies have shown it might actually promote an insulin response," Malik says, which means that your body releases the hormone in anticipation of raised sugar levels in the blood (that in this case, never comes). Over time, too much insulin output can lead to insulin-resistance, weight gain, and type 2 diabetes. "But,” she adds, “the evidence is really quite thin." Meni notes that most of the studies thus far that show this potential connection have been done on rodents. One study from 2014 suggests a connection between artificial sweeteners, the gut microbiome, and glucose intolerance. Again, researchers are intrigued, but the evidence isn't solid yet.

Meni says that she's currently involved in research looking at why people choose artificial sweeteners. "For some, it's that if they do, they can have that extra cookie, which obviously negates the effects," Meni says. Some observational studies show people who consume diet soda consume more calories and snack foods—but again, the actual cause-and-effect relationship is unclear.

"These artificial sweeteners have zero to a few calories, and when it comes to using them as a replacement for regular soda, it makes sense at least in the short term," Malik says. "But we don’t know long term what the ramifications are of consuming these sweeteners." If you drink soda regularly, she recommends switching to diet to reduce the risk of weight gain and things like type 2 diabetes—it's the lesser of two evils. But ultimately, cutting soda out completely and sticking to H2O (regular or seltzer), coffee, and tea is the best choice for your overall health.


4 Ways Diet Soda Could Make You Gain Weight

Recently, I cut all added sugar from my diet for an entire week. For my experiment, I also banned artificial sweeteners. Por quê? Well, first of all, it felt like a cop out. But mostly, it's because emerging research suggests the fake stuff can have some of the same drawbacks as real sugar—like being not so great for our waistlines.

Diet drinks, sweetened with artificial sweeteners like aspartame and sucralose, are either very low calorie or calorie free. Recent studies have suggested that they may still encourage weight gain. The relationship is complicated, though, and pretty controversial.

"The epidemiological studies looking at the association between people who consume diet soda and weight and those who don’t consume it typically show that consuming is associated with higher rates of obesity and higher rates of other metabolic complications," Allison Sylvetsky Meni, Ph.D., assistant professor at the Milken Institute School of Public Health at The George Washington University, tells SELF. The problem is that these results come largely from observational studies and may suffer from a bias called reverse causation, Vasanti Malik, a research scientist in the department of nutrition at Harvard T.H. Chan School of Public Health, tells SELF. Reverse causation basically means that it's difficult to know if x caused y or if y actually caused x. "When looking at diet soda it’s a real issue. People who drink diet soda may already be overweight or have a [metabolic] disease," Malik explains. When you consider that relationship, you have to be skeptical of the association.

Malik also notes that compared to drinking regular sodas and other sugary drinks, diet options seem to be better. "When we looked at this at Harvard, we found that diet soda was associated with less weight gain compared to regular soda," she says. She also references two randomized, controlled trials that showed less weight gain drinking diet vs regular. "Really, the evidence is pointing to benefit of diet consumption and weight maintenance at least in the short term." There is some evidence that diet soda drinkers have a similar type 2 diabetes risk to regular soda drinkers, Meni says. "It could just be the idea of reverse causality, and that those people are already at risk," she adds. But it's likely a combo of that and some other mechanism.

Though both experts agree the evidence is sparse and more research is needed (and in progress), they cite a few viable scientific explanations for the connection between diet soda and weight gain. Here are the most promising four.

"Artificial sweeteners are 200-plus times sweeter than regular sugar, so one concern is that if you consume these drinks, you might become habituated toward sweetness," Malik says. This then might influence you to consume more sugar or sweet things in general, which rock-solid evidence shows is linked to weight gain. "That’s really the number one rationale behind why some people believe these artificial sweeteners might be backfiring."

One area of research focuses on how artificial sugars trigger sweetness receptors in the brain. Our bodies expect that after a sweet taste, an influx of calories will follow. But with artificial sweeteners, they don't, so your brain gets confused. "When you have artificial sugars, you're getting that sweet sensation without calories," Meni explains. Some experts believe this disconnect leaves the body craving those calories it now thinks are missing, leading to overeating and ultimately, weight gain.

Eating sugar signals our bodies to produce insulin to process it, and some studies have suggested that the same response happens even when we eat the fake stuff. "Some smaller studies have shown it might actually promote an insulin response," Malik says, which means that your body releases the hormone in anticipation of raised sugar levels in the blood (that in this case, never comes). Over time, too much insulin output can lead to insulin-resistance, weight gain, and type 2 diabetes. "But,” she adds, “the evidence is really quite thin." Meni notes that most of the studies thus far that show this potential connection have been done on rodents. One study from 2014 suggests a connection between artificial sweeteners, the gut microbiome, and glucose intolerance. Again, researchers are intrigued, but the evidence isn't solid yet.

Meni says that she's currently involved in research looking at why people choose artificial sweeteners. "For some, it's that if they do, they can have that extra cookie, which obviously negates the effects," Meni says. Some observational studies show people who consume diet soda consume more calories and snack foods—but again, the actual cause-and-effect relationship is unclear.

"These artificial sweeteners have zero to a few calories, and when it comes to using them as a replacement for regular soda, it makes sense at least in the short term," Malik says. "But we don’t know long term what the ramifications are of consuming these sweeteners." If you drink soda regularly, she recommends switching to diet to reduce the risk of weight gain and things like type 2 diabetes—it's the lesser of two evils. But ultimately, cutting soda out completely and sticking to H2O (regular or seltzer), coffee, and tea is the best choice for your overall health.