ao.mpmn-digital.com
Novas receitas

Senado votará em alterações do projeto de lei agrícola hoje

Senado votará em alterações do projeto de lei agrícola hoje


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Os republicanos esperam cortar mais do programa de vale-refeição

O Senado dos Estados Unidos está votando a nova Farm Bill hoje, passando pelas emendas uma a uma, que afetam não apenas a política alimentar e a agricultura, mas também os programas de cupons de alimentos e educação nutricional.

Algumas mudanças que estão na mesa incluem um corte de US $ 4 bilhões no programa de vale-refeição, embora supostamente os senadores republicanos estejam procurando cortes maiores. A emenda atual atribuiria US $ 90 a menos para cada família padrão que recebesse auxílio do vale-refeição.

A senadora democrata Kirsten Gillibrand e outros são resistindo aos cortes propondo um corte de US $ 250 milhões um ano.

Até mesmo os candidatos ao Senado estão entrando no debate, com Eric Hovde, o senado esperançoso, fazendo a notícia por pedir à imprensa para não escrever histórias tristes sobre as famílias do vale-refeição. “Pare de escrever sempre sobre 'Ah, a pessoa não conseguiu, você sabe, o vale-refeição ou isso ou aquilo.' Você sabe, eu vi algo outro dia - é como, outra história triste, e eu pensei, 'Mas e o que está acontecendo com o país e o país como um todo?' Isso vai devastar a todos ", disse ele.

Também nas discussões do projeto de lei agrícola: outra emenda propõe um corte de US $ 13 bilhões ao longo de 10 anos nos subsídios às safras, e um corte na conservação ambiental em US $ 6 bilhões.

Finalmente, a Reuters relata que um proposta não relacionada anexado ao projeto de lei do republicano Marco Rubio, da Flórida, permitiria aumentos e bônus baseados no mérito para trabalhadores sindicais sem o consentimento dos líderes trabalhistas.

Enquanto os oponentes da última proposta dizem que isso vai minar o valor dos sindicatos e seu poder, o proponente diz que os sindicatos já têm muito poder.

Se você estiver atrasado para o jogo, aqui está uma introdução sobre por que você deve se preocupar com a conta da fazenda.


Os democratas do Senado rejeitam todas as emendas republicanas, mas 3 antes de aprovar o projeto de lei de alívio em votação partidária

Os democratas rejeitaram todas, exceto três emendas republicanas ao projeto de lei de alívio de US $ 1,9 trilhão, que foi aprovado no Senado em uma votação partidária em 6 de março.

Uma emenda republicana a ser adotada como parte da maratona de votação que durou mais de 24 horas foi a emenda nº 1092 sobre a redução do aumento do seguro-desemprego de $ 400 para $ 300, apresentada pelo senador Rob Portman (R-Ohio )

A emenda de Portman & # 8217s, que previa o benefício extra de desemprego até 18 de julho, teve vida curta, entretanto. Cerca de uma hora depois, os democratas aprovaram sua própria emenda relacionada, que anulou a Portman & # 8217s ao estender os benefícios até 6 de setembro.

O senador Joe Manchin (DW.Va.) votou com todos os 49 senadores republicanos presentes para aprovar a emenda de Portman & # 8217s, embora mais tarde ele tenha votado com seus colegas democratas na emenda de substituição que adicionalmente tornou os primeiros $ 10.200 em benefícios de desemprego isentos de impostos para alguns famílias.

O senador Joe Manchin (D-W.Va.) Fala com um repórter fora da Câmara do Senado em Washington, em 13 de fevereiro de 2021. (Greg Nash / Pool / AFP via Getty Images)

Outra medida republicana a ser aprovada foi a emenda nº 1342, introduzida pelo senador Jerry Moran (R-Kansas), que fornece uma data efetiva para a modificação dos requisitos de receita para instituições educacionais - uma proposta técnica aprovada por voto verbal.

A terceira proposta do Partido Republicano a ser aprovada foi a emenda nº 1233, apresentada pela senadora Lisa Murkowski (R-Alaska), que ativa US $ 800 milhões do Fundo de Emergência para Escolas Elementares e Secundárias para ajudar crianças e jovens desabrigados em meio à pandemia.

Todas as outras emendas republicanas falharam.

Um dos que foram derrotados foi a proposta do senador Tim Scott & # 8217s (R-S.C.) Que reviveu seu esforço por transparência e investigações sobre mortes em lares de idosos COVID-19.

Outro fracasso foi a proposta do senador Marco Rubio (R-Fla.), Que buscava garantir que as escolas fossem abertas pelo menos na metade do tempo para metade dos alunos para serem elegíveis ao financiamento.

Também rejeitada foi uma emenda do senador Lindsey Graham (R-S.C.), Que buscava modificar uma fórmula de financiamento estadual e local que ele disse ser generosa demais para os estados azuis.

A senadora Lindsey Graham (R-S.C.) Fala à mídia no Capitólio em Washington em 7 de janeiro de 2021. (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

O projeto contém cerca de US $ 350 bilhões em financiamento estadual e local, um bicho-papão republicano de longa data. A versão do Senado do projeto de lei apresenta uma estipulação de compromisso em comparação com a versão da Câmara, de que o dinheiro só pode cobrir os custos incorridos até o final de 2024. Também proíbe os estados de usar o dinheiro para compensar cortes de impostos e estipula que não pode ser usado para sustentar os fundos de pensão.

Outras emendas republicanas que falharam incluem um renascimento do oleoduto Keystone XL cancelado para ajudar as comunidades afetadas pelo COVID e assistência emergencial para escolas não públicas.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de março, Graham, Senado Minority Whip John Thune (RS.D.) e vários outros Senado Republicanos denunciaram o que eles disseram ser um processo partidário em torno da aprovação do projeto de lei de alívio, chamando o presidente Joe Biden e # 8217s de pedidos anteriores de unidade " oco ”e denunciando o Plano de Resgate Americano como“ inchado, perdulário e partidário ”.

& # 8220Eles & # 8217 escolheram um caminho partidário. E a razão de não estarmos fazendo isso juntos agora é que eles não querem fazer isso juntos. Eles têm uma lista de desejos que não está relacionada à COVID e que nenhum de nós vai comprar, disse Graham.

& # 8220Eles veem isso como uma oportunidade de apropriar dinheiro para sua lista de desejos liberais usando COVID como o motivo. & # 8221

O Senado acabou aprovando o pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão com todos os 50 democratas votando a favor e todos os republicanos presentes votando contra. Alasca & # 8217s Dan Sullivan teve que sair para ir para casa para o funeral de seu sogro.

O projeto, também conhecido como American Rescue Plan ou H.R. 1319, foi aprovado pela Câmara em 27 de fevereiro por uma votação de 219-212, com todos os republicanos e dois democratas votando contra.

O projeto de lei será devolvido à Câmara para conciliação, o que está previsto para acontecer no início desta semana.


Os democratas do Senado rejeitam todas as emendas republicanas, mas 3 antes de aprovar o projeto de lei de alívio em votação partidária

Os democratas rejeitaram todas, exceto três emendas republicanas ao projeto de lei de alívio de US $ 1,9 trilhão, que foi aprovado no Senado em uma votação partidária em 6 de março.

Uma emenda republicana a ser adotada como parte da maratona de votação que durou mais de 24 horas foi a emenda nº 1092 sobre a redução do aumento do seguro-desemprego de $ 400 para $ 300, apresentada pelo senador Rob Portman (R-Ohio )

A emenda de Portman & # 8217s, que previa o benefício extra de desemprego até 18 de julho, teve vida curta, entretanto. Cerca de uma hora depois, os democratas aprovaram sua própria emenda relacionada, que anulou a Portman & # 8217s ao estender os benefícios até 6 de setembro.

O senador Joe Manchin (DW.Va.) votou com todos os 49 senadores republicanos presentes para aprovar a emenda de Portman & # 8217s, embora mais tarde ele tenha votado com seus colegas democratas na emenda de substituição que adicionalmente tornou os primeiros $ 10.200 em benefícios de desemprego isentos de impostos para alguns famílias.

O senador Joe Manchin (D-W.Va.) Fala com um repórter fora da Câmara do Senado em Washington, em 13 de fevereiro de 2021. (Greg Nash / Pool / AFP via Getty Images)

Outra medida republicana a ser aprovada foi a emenda nº 1342, introduzida pelo senador Jerry Moran (R-Kansas), que fornece uma data efetiva para a modificação dos requisitos de receita para instituições educacionais - uma proposta técnica que foi aprovada por voto verbal.

A terceira proposta do Partido Republicano a ser aprovada foi a emenda nº 1233, apresentada pela senadora Lisa Murkowski (R-Alaska), que ativa US $ 800 milhões do Fundo de Emergência para Escolas Elementares e Secundárias para ajudar crianças e jovens desabrigados em meio à pandemia.

Todas as outras emendas republicanas falharam.

Um dos que foram rejeitados foi a proposta do senador Tim Scott & # 8217s (R-S.C.) Que reavivou seu esforço por transparência e investigações sobre mortes em lares de idosos COVID-19.

Outro fracasso foi a proposta do senador Marco Rubio (R-Fla.), Que buscava garantir que as escolas fossem abertas pelo menos na metade do tempo para metade dos alunos para serem elegíveis ao financiamento.

Também rejeitada foi uma emenda do senador Lindsey Graham (R-S.C.), Que buscava modificar uma fórmula de financiamento estadual e local que ele disse ser generosa demais para os estados azuis.

A senadora Lindsey Graham (R-S.C.) Fala à mídia no Capitólio em Washington em 7 de janeiro de 2021. (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

O projeto contém cerca de US $ 350 bilhões em financiamento estadual e local, um bicho-papão dos republicanos de longa data. A versão do Senado do projeto de lei apresenta uma estipulação de compromisso em comparação com a versão da Câmara, de que o dinheiro só pode cobrir os custos incorridos até o final de 2024. Também proíbe os estados de usar o dinheiro para compensar cortes de impostos e estipula que não pode ser usado para sustentar os fundos de pensão.

Outras emendas republicanas que falharam incluem um renascimento do oleoduto Keystone XL cancelado para ajudar as comunidades afetadas pelo COVID e assistência emergencial para escolas não públicas.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de março, Graham, Senado Minority Whip John Thune (RS.D.) e vários outros Senado Republicanos denunciaram o que eles disseram ser um processo partidário em torno da aprovação do projeto de lei de alívio, chamando o presidente Joe Biden e # 8217s de pedidos anteriores de unidade " oco ”e denunciando o Plano de Resgate Americano como“ inchado, perdulário e partidário ”.

& # 8220Eles & # 8217 escolheram um caminho partidário. E a razão de não estarmos fazendo isso juntos agora é que eles não querem fazer isso juntos. Eles têm uma lista de desejos que não está relacionada à COVID e que nenhum de nós vai comprar, disse Graham.

& # 8220Eles veem isso como uma oportunidade de apropriar dinheiro para sua lista de desejos liberais usando COVID como o motivo. & # 8221

O Senado acabou aprovando o pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão com todos os 50 democratas votando a favor e todos os republicanos presentes votando contra. Alasca & # 8217s Dan Sullivan teve que sair para ir para casa para o funeral de seu sogro.

O projeto, também conhecido como Plano de Resgate Americano ou H.R. 1319, foi aprovado pela Câmara em 27 de fevereiro por uma votação de 219-212, com todos os republicanos e dois democratas votando contra.

O projeto de lei será devolvido à Câmara para conciliação, o que está previsto para acontecer no início desta semana.


Os democratas do Senado rejeitam todas as emendas republicanas, mas 3 antes de aprovar o projeto de lei em votação partidária

Os democratas rejeitaram todas, exceto três emendas republicanas ao projeto de ajuda de US $ 1,9 trilhão, que foi aprovado no Senado em uma votação partidária em 6 de março.

Uma emenda republicana a ser adotada como parte da maratona de votação que durou mais de 24 horas foi a emenda nº 1092 sobre a redução do aumento do seguro-desemprego de $ 400 para $ 300, apresentada pelo senador Rob Portman (R-Ohio )

A emenda de Portman & # 8217s, que previa o benefício extra de desemprego até 18 de julho, teve vida curta, entretanto. Cerca de uma hora depois, os democratas aprovaram sua própria emenda relacionada, que anulou a Portman & # 8217s ao estender os benefícios até 6 de setembro.

O senador Joe Manchin (DW.Va.) votou com todos os 49 senadores republicanos presentes para aprovar a emenda de Portman & # 8217s, embora mais tarde ele tenha votado com seus colegas democratas na emenda de substituição que adicionalmente tornou os primeiros $ 10.200 em benefícios de desemprego isentos de impostos para alguns famílias.

O senador Joe Manchin (D-W.Va.) Fala com um repórter fora da Câmara do Senado em Washington, em 13 de fevereiro de 2021. (Greg Nash / Pool / AFP via Getty Images)

Outra medida republicana a ser aprovada foi a emenda nº 1342, introduzida pelo senador Jerry Moran (R-Kansas), que fornece uma data efetiva para a modificação dos requisitos de receita para instituições educacionais - uma proposta técnica aprovada por voto verbal.

A terceira proposta do Partido Republicano a ser aprovada foi a emenda nº 1233, apresentada pela senadora Lisa Murkowski (R-Alaska), que ativa US $ 800 milhões do Fundo de Emergência para Escolas Elementares e Secundárias para ajudar crianças e jovens desabrigados em meio à pandemia.

Todas as outras emendas republicanas falharam.

Um dos que foram derrotados foi a proposta do senador Tim Scott & # 8217s (R-S.C.) Que reviveu seu esforço por transparência e investigações sobre mortes em lares de idosos COVID-19.

Outro fracasso foi a proposta do senador Marco Rubio (R-Fla.), Que buscava garantir que as escolas fossem abertas pelo menos na metade do tempo para metade dos alunos para serem elegíveis ao financiamento.

Também rejeitada foi uma emenda do senador Lindsey Graham (R-S.C.), Que buscava modificar uma fórmula de financiamento estadual e local que ele disse ser generosa demais para os estados azuis.

A senadora Lindsey Graham (R-S.C.) Fala à mídia no Capitólio em Washington em 7 de janeiro de 2021. (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

O projeto contém cerca de US $ 350 bilhões em financiamento estadual e local, um bicho-papão dos republicanos de longa data. A versão do Senado do projeto de lei apresenta uma estipulação de compromisso em comparação com a versão da Câmara, de que o dinheiro só pode cobrir os custos incorridos até o final de 2024. Também proíbe os estados de usar o dinheiro para compensar cortes de impostos e estipula que não pode ser usado para sustentar os fundos de pensão.

Outras emendas republicanas que falharam incluem um renascimento do oleoduto Keystone XL cancelado para ajudar as comunidades afetadas pelo COVID e assistência emergencial para escolas não públicas.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de março, Graham, Senado Minority Whip John Thune (RS.D.) e vários outros Senado Republicanos denunciaram o que eles disseram ser um processo partidário em torno da aprovação do projeto de lei de alívio, chamando o presidente Joe Biden e # 8217s de pedidos anteriores de unidade " oco ”e denunciando o Plano de Resgate Americano como“ inchado, perdulário e partidário ”.

& # 8220Eles & # 8217 escolheram um caminho partidário. E a razão de não estarmos fazendo isso juntos agora é que eles não querem fazer isso juntos. Eles têm uma lista de desejos que não está relacionada à COVID e que nenhum de nós vai comprar, disse Graham.

& # 8220Eles veem isso como uma oportunidade de apropriar dinheiro para sua lista de desejos liberais usando COVID como o motivo. & # 8221

O Senado acabou aprovando o pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão com todos os 50 democratas votando a favor e todos os republicanos presentes votando contra. Alasca & # 8217s Dan Sullivan teve que sair para ir para casa para o funeral de seu sogro.

O projeto, também conhecido como Plano de Resgate Americano ou H.R. 1319, foi aprovado pela Câmara em 27 de fevereiro por uma votação de 219-212, com todos os republicanos e dois democratas votando contra.

O projeto de lei será devolvido à Câmara para conciliação, o que está previsto para acontecer no início desta semana.


Os democratas do Senado rejeitam todas as emendas republicanas, mas 3 antes de aprovar o projeto de lei de alívio em votação partidária

Os democratas rejeitaram todas, exceto três emendas republicanas ao projeto de lei de alívio de US $ 1,9 trilhão, que foi aprovado no Senado em uma votação partidária em 6 de março.

Uma emenda republicana a ser adotada como parte da maratona de votação que durou mais de 24 horas foi a emenda nº 1092 sobre a redução do aumento do seguro-desemprego de $ 400 para $ 300, apresentada pelo senador Rob Portman (R-Ohio )

A emenda de Portman & # 8217s, que previa o benefício extra de desemprego até 18 de julho, teve vida curta, entretanto. Cerca de uma hora depois, os democratas aprovaram sua própria emenda relacionada, que anulou a Portman & # 8217s ao estender os benefícios até 6 de setembro.

O senador Joe Manchin (DW.Va.) votou com todos os 49 senadores republicanos presentes para aprovar a emenda de Portman & # 8217s, embora mais tarde ele tenha votado com seus colegas democratas na emenda de substituição que adicionalmente tornou os primeiros $ 10.200 em benefícios de desemprego isentos de impostos para alguns famílias.

O senador Joe Manchin (D-W.Va.) Fala com um repórter fora da Câmara do Senado em Washington, em 13 de fevereiro de 2021. (Greg Nash / Pool / AFP via Getty Images)

Outra medida republicana a ser aprovada foi a emenda nº 1342, apresentada pelo senador Jerry Moran (R-Kansas), que fornece uma data efetiva para a modificação dos requisitos de receita para instituições educacionais - uma proposta técnica aprovada por voto verbal.

A terceira proposta do Partido Republicano a ser aprovada foi a emenda nº 1233, apresentada pela senadora Lisa Murkowski (R-Alaska), que ativa US $ 800 milhões do Fundo de Emergência para Escolas Elementares e Secundárias para ajudar crianças e jovens desabrigados em meio à pandemia.

Todas as outras emendas republicanas falharam.

Um dos que foram rejeitados foi a proposta do senador Tim Scott & # 8217s (R-S.C.) Que reavivou seu esforço por transparência e investigações sobre mortes em lares de idosos COVID-19.

Outro fracasso foi a proposta do senador Marco Rubio (R-Fla.), Que buscava garantir que as escolas fossem abertas pelo menos na metade do tempo para metade dos alunos para serem elegíveis ao financiamento.

Também rejeitada foi uma emenda do senador Lindsey Graham (R-S.C.), Que buscava modificar uma fórmula de financiamento estadual e local que ele disse ser generosa demais para os estados azuis.

A senadora Lindsey Graham (R-S.C.) Fala à mídia no Capitólio em Washington em 7 de janeiro de 2021. (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

O projeto contém cerca de US $ 350 bilhões em financiamento estadual e local, um bicho-papão dos republicanos de longa data. A versão do Senado do projeto de lei apresenta uma estipulação de compromisso em comparação com a versão da Câmara, de que o dinheiro só pode cobrir os custos incorridos até o final de 2024. Também proíbe os estados de usar o dinheiro para compensar cortes de impostos e estipula que não pode ser usado para sustentar os fundos de pensão.

Outras emendas republicanas que falharam incluem um renascimento do oleoduto Keystone XL cancelado para ajudar as comunidades afetadas pelo COVID e assistência emergencial para escolas não públicas.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de março, Graham, Senado Minority Whip John Thune (RS.D.) e vários outros Senado Republicanos denunciaram o que eles disseram ser um processo partidário em torno da aprovação do projeto de lei de alívio, chamando o presidente Joe Biden e # 8217s de pedidos anteriores de unidade " oco ”e denunciando o Plano de Resgate Americano como“ inchado, perdulário e partidário ”.

& # 8220Eles & # 8217 escolheram um caminho partidário. E a razão de não estarmos fazendo isso juntos agora é que eles não querem fazer isso juntos. Eles têm uma lista de desejos que não está relacionada à COVID e que nenhum de nós vai comprar ”, disse Graham.

& # 8220Eles veem isso como uma oportunidade de apropriar dinheiro para sua lista de desejos liberais usando COVID como o motivo. & # 8221

O Senado acabou aprovando o pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão com todos os 50 democratas votando a favor e todos os republicanos presentes votando contra. Alasca & # 8217s Dan Sullivan teve que sair para ir para casa para o funeral de seu sogro.

O projeto, também conhecido como American Rescue Plan ou H.R. 1319, foi aprovado pela Câmara em 27 de fevereiro por uma votação de 219-212, com todos os republicanos e dois democratas votando contra.

O projeto de lei será devolvido à Câmara para conciliação, o que está previsto para acontecer no início desta semana.


Os democratas do Senado rejeitam todas as emendas republicanas, mas 3 antes de aprovar o projeto de lei em votação partidária

Os democratas rejeitaram todas, exceto três emendas republicanas ao projeto de ajuda de US $ 1,9 trilhão, que foi aprovado no Senado em uma votação partidária em 6 de março.

Uma emenda republicana a ser adotada como parte da maratona de votação que durou mais de 24 horas foi a emenda nº 1092 sobre a redução do aumento do seguro-desemprego de $ 400 para $ 300, apresentada pelo senador Rob Portman (R-Ohio )

A emenda de Portman & # 8217s, que previa o benefício extra de desemprego até 18 de julho, teve vida curta, entretanto. Cerca de uma hora depois, os democratas aprovaram sua própria emenda relacionada, que anulou a Portman & # 8217s ao estender os benefícios até 6 de setembro.

O senador Joe Manchin (DW.Va.) votou com todos os 49 senadores republicanos presentes para aprovar a emenda de Portman & # 8217s, embora mais tarde ele tenha votado com seus colegas democratas na emenda de substituição que adicionalmente tornou os primeiros $ 10.200 em benefícios de desemprego isentos de impostos para alguns famílias.

O senador Joe Manchin (D-W.Va.) Fala com um repórter fora da Câmara do Senado em Washington, em 13 de fevereiro de 2021. (Greg Nash / Pool / AFP via Getty Images)

Outra medida republicana a ser aprovada foi a emenda nº 1342, introduzida pelo senador Jerry Moran (R-Kansas), que fornece uma data efetiva para a modificação dos requisitos de receita para instituições educacionais - uma proposta técnica aprovada por voto verbal.

A terceira proposta do Partido Republicano a ser aprovada foi a emenda nº 1233, apresentada pela senadora Lisa Murkowski (R-Alaska), que ativa US $ 800 milhões do Fundo de Emergência para Escolas Elementares e Secundárias para ajudar crianças e jovens desabrigados em meio à pandemia.

Todas as outras emendas republicanas falharam.

Um dos que foram rejeitados foi a proposta do senador Tim Scott & # 8217s (R-S.C.) Que reavivou seu esforço por transparência e investigações sobre mortes em lares de idosos COVID-19.

Outro fracasso foi a proposta do senador Marco Rubio (R-Fla.), Que buscava garantir que as escolas fossem abertas pelo menos na metade do tempo para metade dos alunos para serem elegíveis ao financiamento.

Também rejeitada foi uma emenda do senador Lindsey Graham (R-S.C.), Que buscava modificar uma fórmula de financiamento estadual e local que ele disse ser generosa demais para os estados azuis.

A senadora Lindsey Graham (R-S.C.) Fala à mídia no Capitólio em Washington em 7 de janeiro de 2021. (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

O projeto contém cerca de US $ 350 bilhões em financiamento estadual e local, um bicho-papão republicano de longa data. A versão do Senado do projeto de lei apresenta uma estipulação de compromisso em comparação com a versão da Câmara, de que o dinheiro só pode cobrir os custos incorridos até o final de 2024. Também proíbe os estados de usar o dinheiro para compensar cortes de impostos e estipula que não pode ser usado para sustentar os fundos de pensão.

Outras emendas republicanas que falharam incluem um renascimento do oleoduto Keystone XL cancelado para ajudar as comunidades afetadas pelo COVID e assistência emergencial para escolas não públicas.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de março, Graham, Senado Minority Whip John Thune (RS.D.) e vários outros Senado Republicanos denunciaram o que eles disseram ser um processo partidário em torno da aprovação do projeto de lei de alívio, chamando o presidente Joe Biden e # 8217s de pedidos anteriores de unidade " oco ”e denunciando o Plano de Resgate Americano como“ inchado, perdulário e partidário ”.

& # 8220Eles & # 8217 escolheram um caminho partidário. E a razão de não estarmos fazendo isso juntos agora é que eles não querem fazer isso juntos. Eles têm uma lista de desejos que não está relacionada à COVID e que nenhum de nós vai comprar, disse Graham.

& # 8220Eles veem isso como uma oportunidade de apropriar dinheiro para sua lista de desejos liberais usando COVID como o motivo. & # 8221

O Senado acabou aprovando o pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão com todos os 50 democratas votando a favor e todos os republicanos presentes votando contra. Alasca & # 8217s Dan Sullivan teve que sair para ir para casa para o funeral de seu sogro.

O projeto, também conhecido como Plano de Resgate Americano ou H.R. 1319, foi aprovado pela Câmara em 27 de fevereiro por uma votação de 219-212, com todos os republicanos e dois democratas votando contra.

O projeto de lei será devolvido à Câmara para conciliação, o que está previsto para acontecer no início desta semana.


Os democratas do Senado rejeitam todas as emendas republicanas, mas 3 antes de aprovar o projeto de lei de alívio em votação partidária

Os democratas rejeitaram todas, exceto três emendas republicanas ao projeto de lei de alívio de US $ 1,9 trilhão, que foi aprovado no Senado em uma votação partidária em 6 de março.

Uma emenda republicana a ser adotada como parte da maratona de votação que durou mais de 24 horas foi a emenda nº 1092 sobre a redução do aumento do seguro-desemprego de $ 400 para $ 300, apresentada pelo senador Rob Portman (R-Ohio )

A emenda de Portman & # 8217s, que previa o benefício extra de desemprego até 18 de julho, teve vida curta, entretanto. Cerca de uma hora depois, os democratas aprovaram sua própria emenda relacionada, que anulou a Portman & # 8217s ao estender os benefícios até 6 de setembro.

O senador Joe Manchin (DW.Va.) votou com todos os 49 senadores republicanos presentes para aprovar a emenda de Portman & # 8217s, embora mais tarde ele tenha votado com seus colegas democratas na emenda de substituição que adicionalmente tornou os primeiros $ 10.200 em benefícios de desemprego isentos de impostos para alguns famílias.

O senador Joe Manchin (D-W.Va.) Fala com um repórter fora da Câmara do Senado em Washington, em 13 de fevereiro de 2021. (Greg Nash / Pool / AFP via Getty Images)

Outra medida republicana a ser aprovada foi a emenda nº 1342, apresentada pelo senador Jerry Moran (R-Kansas), que fornece uma data efetiva para a modificação dos requisitos de receita para instituições educacionais - uma proposta técnica aprovada por voto verbal.

A terceira proposta do Partido Republicano a ser aprovada foi a emenda nº 1233, apresentada pela senadora Lisa Murkowski (R-Alaska), que ativa US $ 800 milhões do Fundo de Emergência para Escolas Elementares e Secundárias para ajudar crianças e jovens desabrigados em meio à pandemia.

Todas as outras emendas republicanas falharam.

Um dos que foram rejeitados foi a proposta do senador Tim Scott & # 8217s (R-S.C.) Que reavivou seu esforço por transparência e investigações sobre mortes em lares de idosos COVID-19.

Outro fracasso foi a proposta do senador Marco Rubio (R-Fla.), Que buscava garantir que as escolas fossem abertas pelo menos na metade do tempo para metade dos alunos para serem elegíveis ao financiamento.

Também rejeitada foi uma emenda do senador Lindsey Graham (R-S.C.), Que buscava modificar uma fórmula de financiamento estadual e local que ele disse ser generosa demais para os estados azuis.

A senadora Lindsey Graham (R-S.C.) Fala à mídia no Capitólio em Washington em 7 de janeiro de 2021. (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

O projeto contém cerca de US $ 350 bilhões em financiamento estadual e local, um bicho-papão republicano de longa data. A versão do Senado do projeto de lei apresenta uma estipulação de compromisso em comparação com a versão da Câmara, de que o dinheiro só pode cobrir os custos incorridos até o final de 2024. Também proíbe os estados de usar o dinheiro para compensar cortes de impostos e estipula que não pode ser usado para sustentar os fundos de pensão.

Outras emendas republicanas que falharam incluem um renascimento do oleoduto Keystone XL cancelado para ajudar as comunidades afetadas pelo COVID e assistência emergencial para escolas não públicas.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de março, Graham, Senado Minority Whip John Thune (RS.D.) e vários outros Senado Republicanos denunciaram o que eles disseram ser um processo partidário em torno da aprovação do projeto de lei de alívio, chamando o presidente Joe Biden e # 8217s de pedidos anteriores de unidade " oco ”e denunciando o Plano de Resgate Americano como“ inchado, perdulário e partidário ”.

& # 8220Eles & # 8217 escolheram um caminho partidário. E a razão de não estarmos fazendo isso juntos agora é que eles não querem fazer isso juntos. Eles têm uma lista de desejos que não está relacionada à COVID e que nenhum de nós vai comprar, disse Graham.

& # 8220Eles veem isso como uma oportunidade de apropriar dinheiro para sua lista de desejos liberais usando COVID como o motivo. & # 8221

O Senado acabou aprovando o pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão com todos os 50 democratas votando a favor e todos os republicanos presentes votando contra. Alasca & # 8217s Dan Sullivan teve que sair para ir para casa para o funeral de seu sogro.

O projeto de lei, também conhecido como Plano de Resgate Americano ou H.R. 1319, foi aprovado pela Câmara em 27 de fevereiro por uma votação de 219-212, com todos os republicanos e dois democratas votando contra.

O projeto de lei será devolvido à Câmara para conciliação, o que está previsto para acontecer no início desta semana.


Os democratas do Senado rejeitam todas as emendas republicanas, mas 3 antes de aprovar o projeto de lei de alívio em votação partidária

Os democratas rejeitaram todas, exceto três emendas republicanas ao projeto de lei de alívio de US $ 1,9 trilhão, que foi aprovado no Senado em uma votação partidária em 6 de março.

Uma emenda republicana a ser adotada como parte da maratona de votação que durou mais de 24 horas foi a emenda nº 1092 sobre a redução do aumento do seguro-desemprego de $ 400 para $ 300, apresentada pelo senador Rob Portman (R-Ohio )

A emenda de Portman & # 8217s, que previa o benefício extra de desemprego até 18 de julho, teve vida curta, entretanto. Cerca de uma hora depois, os democratas aprovaram sua própria emenda relacionada, que anulou a Portman & # 8217s ao estender os benefícios até 6 de setembro.

O senador Joe Manchin (DW.Va.) votou com todos os 49 senadores republicanos presentes para aprovar a emenda de Portman & # 8217s, embora mais tarde ele tenha votado com seus colegas democratas na emenda de substituição que adicionalmente tornou os primeiros $ 10.200 em benefícios de desemprego isentos de impostos para alguns famílias.

O senador Joe Manchin (D-W.Va.) Fala com um repórter fora da Câmara do Senado em Washington, em 13 de fevereiro de 2021. (Greg Nash / Pool / AFP via Getty Images)

Outra medida republicana a ser aprovada foi a emenda nº 1342, introduzida pelo senador Jerry Moran (R-Kansas), que fornece uma data efetiva para a modificação dos requisitos de receita para instituições educacionais - uma proposta técnica aprovada por voto verbal.

A terceira proposta do Partido Republicano a ser aprovada foi a emenda nº 1233, apresentada pela senadora Lisa Murkowski (R-Alaska), que ativa US $ 800 milhões do Fundo de Emergência para Escolas Elementares e Secundárias para ajudar crianças e jovens desabrigados em meio à pandemia.

Todas as outras emendas republicanas falharam.

Um dos que foram derrotados foi a proposta do senador Tim Scott & # 8217s (R-S.C.) Que reviveu seu esforço por transparência e investigações sobre mortes em lares de idosos COVID-19.

Outro fracasso foi uma proposta do senador Marco Rubio (R-Fla.), Que buscava garantir que as escolas fossem abertas pelo menos metade do tempo para metade dos alunos para serem elegíveis ao financiamento.

Também rejeitada foi uma emenda do senador Lindsey Graham (R-S.C.), Que buscava modificar uma fórmula de financiamento estadual e local que ele disse ser generosa demais para os estados azuis.

A senadora Lindsey Graham (R-S.C.) Fala à mídia no Capitólio em Washington em 7 de janeiro de 2021. (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

O projeto contém cerca de US $ 350 bilhões em financiamento estadual e local, um bicho-papão republicano de longa data. A versão do Senado do projeto de lei apresenta uma estipulação de compromisso em comparação com a versão da Câmara, de que o dinheiro só pode cobrir os custos incorridos até o final de 2024. Também proíbe os estados de usar o dinheiro para compensar cortes de impostos e estipula que não pode ser usado para sustentar os fundos de pensão.

Outras emendas republicanas que falharam incluem um renascimento do gasoduto Keystone XL cancelado para ajudar as comunidades afetadas pelo COVID e assistência emergencial para escolas não públicas.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de março, Graham, Senado Minority Whip John Thune (RS.D.) e vários outros Senado Republicanos denunciaram o que eles disseram ser um processo partidário em torno da aprovação do projeto de lei de alívio, chamando o presidente Joe Biden e # 8217s de pedidos anteriores de unidade " oco ”e denunciando o Plano de Resgate Americano como“ inchado, perdulário e partidário ”.

& # 8220Eles & # 8217 escolheram um caminho partidário. E a razão de não estarmos fazendo isso juntos agora é que eles não querem fazer isso juntos. Eles têm uma lista de desejos que não está relacionada à COVID e que nenhum de nós vai comprar, disse Graham.

& # 8220Eles veem isso como uma oportunidade de apropriar dinheiro para sua lista de desejos liberais usando COVID como o motivo. & # 8221

O Senado acabou aprovando o pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão com todos os 50 democratas votando a favor e todos os republicanos presentes votando contra. Alaska’s Dan Sullivan had to leave to go home for the funeral of his father-in-law.

The bill, also known as the American Rescue Plan or H.R. 1319, was approved by the House on Feb. 27 by a vote of 219–212, with all Republicans and two Democrats voting against it.

The bill will be returned to the House for reconciliation, which is expected to happen early this week.


Senate Democrats Reject All Republican Amendments but 3 Before Passing Relief Bill in Partisan Vote

Democrats rejected all but three Republican amendments to the $1.9 trillion relief bill, which cleared the Senate in a partisan vote on March 6.

One Republican amendment to be adopted as part of the marathon vote-a-rama session that lasted more than 24 hours was amendment #1092 on reducing the unemployment insurance plus-up from $400 to $300, introduced by Sen. Rob Portman (R-Ohio).

Portman’s amendment, which provided the extra jobless benefit until July 18, was short-lived, however. About an hour later, Democrats passed their own related amendment, which overrode Portman’s by extending the benefits through Sept. 6.

Sen. Joe Manchin (D-W.Va.) voted with all 49 Republican senators present to approve Portman’s amendment, although he later voted with his Democratic colleagues on the superseding amendment that additionally made the first $10,200 in unemployment benefits tax-free for some households.

Sen. Joe Manchin (D-W.Va.) speaks to a reporter outside the Senate Chamber in Washington, on Feb. 13, 2021. (Greg Nash/Pool/AFP via Getty Images)

Another Republican measure to pass was amendment #1342, introduced by Sen. Jerry Moran (R-Kansas), which provides an effective date for the modification of revenue requirements for educational institutions—a technical proposal that passed by voice vote.

The third GOP proposal to pass was amendment #1233, introduced by Sen. Lisa Murkowski (R-Alaska), which activates $800 million of the Elementary and Secondary School Emergency Relief Fund to help homeless youth and children amid the pandemic.

All other Republican amendments failed.

One of those to be voted down was Sen. Tim Scott’s (R-S.C.) proposal that revived his effort for transparency and investigations into COVID-19 nursing home deaths.

Another to fail was a proposal by Sen. Marco Rubio (R-Fla.), which sought to ensure that schools were open at least half the time for half the students in order to be eligible for funding.

Also voted down was an amendment from Sen. Lindsey Graham (R-S.C.), which sought to modify a state-and-local funding formula that he said was too generous to blue states.

Sen. Lindsey Graham (R-S.C.) speaks to the media at the Capitol in Washington on Jan. 7, 2021. (Charlotte Cuthbertson/The Epoch Times)

The bill contains some $350 billion in state and local funding, a longtime Republican bugbear. The Senate version of the bill features a compromise stipulation compared to the House version, that the money can only cover costs incurred by the end of 2024. It also prohibits states from using the money to offset tax cuts and stipulates that it cannot be used to shore up pension funds.

Other failed Republican amendments include a revival of the canceled Keystone XL pipeline to help COVID-impacted communities, and emergency assistance to nonpublic schools.

In a March 5 press conference, Graham, Senate Minority Whip John Thune (R-S.D.) and several other Senate Republicans denounced what they said was a partisan process around passing the relief bill, calling President Joe Biden’s previous calls for unity “hollow,” and denouncing the American Rescue Plan as “bloated, wasteful, and partisan.”

“They’ve chosen a partisan path. And the reason we’re not doing it together now is they don’t want to do it together. They’ve got a wish list that’s unrelated to COVID that none of us are going to buy into,” Graham said.

“They see this as an opportunity to appropriate money for their liberal wish list using COVID as the reason.”

The Senate ultimately approved the $1.9 trillion stimulus package with all 50 Democrats voting for, and all present Republicans voting against. Alaska’s Dan Sullivan had to leave to go home for the funeral of his father-in-law.

The bill, also known as the American Rescue Plan or H.R. 1319, was approved by the House on Feb. 27 by a vote of 219–212, with all Republicans and two Democrats voting against it.

The bill will be returned to the House for reconciliation, which is expected to happen early this week.


Senate Democrats Reject All Republican Amendments but 3 Before Passing Relief Bill in Partisan Vote

Democrats rejected all but three Republican amendments to the $1.9 trillion relief bill, which cleared the Senate in a partisan vote on March 6.

One Republican amendment to be adopted as part of the marathon vote-a-rama session that lasted more than 24 hours was amendment #1092 on reducing the unemployment insurance plus-up from $400 to $300, introduced by Sen. Rob Portman (R-Ohio).

Portman’s amendment, which provided the extra jobless benefit until July 18, was short-lived, however. About an hour later, Democrats passed their own related amendment, which overrode Portman’s by extending the benefits through Sept. 6.

Sen. Joe Manchin (D-W.Va.) voted with all 49 Republican senators present to approve Portman’s amendment, although he later voted with his Democratic colleagues on the superseding amendment that additionally made the first $10,200 in unemployment benefits tax-free for some households.

Sen. Joe Manchin (D-W.Va.) speaks to a reporter outside the Senate Chamber in Washington, on Feb. 13, 2021. (Greg Nash/Pool/AFP via Getty Images)

Another Republican measure to pass was amendment #1342, introduced by Sen. Jerry Moran (R-Kansas), which provides an effective date for the modification of revenue requirements for educational institutions—a technical proposal that passed by voice vote.

The third GOP proposal to pass was amendment #1233, introduced by Sen. Lisa Murkowski (R-Alaska), which activates $800 million of the Elementary and Secondary School Emergency Relief Fund to help homeless youth and children amid the pandemic.

All other Republican amendments failed.

One of those to be voted down was Sen. Tim Scott’s (R-S.C.) proposal that revived his effort for transparency and investigations into COVID-19 nursing home deaths.

Another to fail was a proposal by Sen. Marco Rubio (R-Fla.), which sought to ensure that schools were open at least half the time for half the students in order to be eligible for funding.

Also voted down was an amendment from Sen. Lindsey Graham (R-S.C.), which sought to modify a state-and-local funding formula that he said was too generous to blue states.

Sen. Lindsey Graham (R-S.C.) speaks to the media at the Capitol in Washington on Jan. 7, 2021. (Charlotte Cuthbertson/The Epoch Times)

The bill contains some $350 billion in state and local funding, a longtime Republican bugbear. The Senate version of the bill features a compromise stipulation compared to the House version, that the money can only cover costs incurred by the end of 2024. It also prohibits states from using the money to offset tax cuts and stipulates that it cannot be used to shore up pension funds.

Other failed Republican amendments include a revival of the canceled Keystone XL pipeline to help COVID-impacted communities, and emergency assistance to nonpublic schools.

In a March 5 press conference, Graham, Senate Minority Whip John Thune (R-S.D.) and several other Senate Republicans denounced what they said was a partisan process around passing the relief bill, calling President Joe Biden’s previous calls for unity “hollow,” and denouncing the American Rescue Plan as “bloated, wasteful, and partisan.”

“They’ve chosen a partisan path. And the reason we’re not doing it together now is they don’t want to do it together. They’ve got a wish list that’s unrelated to COVID that none of us are going to buy into,” Graham said.

“They see this as an opportunity to appropriate money for their liberal wish list using COVID as the reason.”

The Senate ultimately approved the $1.9 trillion stimulus package with all 50 Democrats voting for, and all present Republicans voting against. Alaska’s Dan Sullivan had to leave to go home for the funeral of his father-in-law.

The bill, also known as the American Rescue Plan or H.R. 1319, was approved by the House on Feb. 27 by a vote of 219–212, with all Republicans and two Democrats voting against it.

The bill will be returned to the House for reconciliation, which is expected to happen early this week.


Senate Democrats Reject All Republican Amendments but 3 Before Passing Relief Bill in Partisan Vote

Democrats rejected all but three Republican amendments to the $1.9 trillion relief bill, which cleared the Senate in a partisan vote on March 6.

One Republican amendment to be adopted as part of the marathon vote-a-rama session that lasted more than 24 hours was amendment #1092 on reducing the unemployment insurance plus-up from $400 to $300, introduced by Sen. Rob Portman (R-Ohio).

Portman’s amendment, which provided the extra jobless benefit until July 18, was short-lived, however. About an hour later, Democrats passed their own related amendment, which overrode Portman’s by extending the benefits through Sept. 6.

Sen. Joe Manchin (D-W.Va.) voted with all 49 Republican senators present to approve Portman’s amendment, although he later voted with his Democratic colleagues on the superseding amendment that additionally made the first $10,200 in unemployment benefits tax-free for some households.

Sen. Joe Manchin (D-W.Va.) speaks to a reporter outside the Senate Chamber in Washington, on Feb. 13, 2021. (Greg Nash/Pool/AFP via Getty Images)

Another Republican measure to pass was amendment #1342, introduced by Sen. Jerry Moran (R-Kansas), which provides an effective date for the modification of revenue requirements for educational institutions—a technical proposal that passed by voice vote.

The third GOP proposal to pass was amendment #1233, introduced by Sen. Lisa Murkowski (R-Alaska), which activates $800 million of the Elementary and Secondary School Emergency Relief Fund to help homeless youth and children amid the pandemic.

All other Republican amendments failed.

One of those to be voted down was Sen. Tim Scott’s (R-S.C.) proposal that revived his effort for transparency and investigations into COVID-19 nursing home deaths.

Another to fail was a proposal by Sen. Marco Rubio (R-Fla.), which sought to ensure that schools were open at least half the time for half the students in order to be eligible for funding.

Also voted down was an amendment from Sen. Lindsey Graham (R-S.C.), which sought to modify a state-and-local funding formula that he said was too generous to blue states.

Sen. Lindsey Graham (R-S.C.) speaks to the media at the Capitol in Washington on Jan. 7, 2021. (Charlotte Cuthbertson/The Epoch Times)

The bill contains some $350 billion in state and local funding, a longtime Republican bugbear. The Senate version of the bill features a compromise stipulation compared to the House version, that the money can only cover costs incurred by the end of 2024. It also prohibits states from using the money to offset tax cuts and stipulates that it cannot be used to shore up pension funds.

Other failed Republican amendments include a revival of the canceled Keystone XL pipeline to help COVID-impacted communities, and emergency assistance to nonpublic schools.

In a March 5 press conference, Graham, Senate Minority Whip John Thune (R-S.D.) and several other Senate Republicans denounced what they said was a partisan process around passing the relief bill, calling President Joe Biden’s previous calls for unity “hollow,” and denouncing the American Rescue Plan as “bloated, wasteful, and partisan.”

“They’ve chosen a partisan path. And the reason we’re not doing it together now is they don’t want to do it together. They’ve got a wish list that’s unrelated to COVID that none of us are going to buy into,” Graham said.

“They see this as an opportunity to appropriate money for their liberal wish list using COVID as the reason.”

The Senate ultimately approved the $1.9 trillion stimulus package with all 50 Democrats voting for, and all present Republicans voting against. Alaska’s Dan Sullivan had to leave to go home for the funeral of his father-in-law.

The bill, also known as the American Rescue Plan or H.R. 1319, was approved by the House on Feb. 27 by a vote of 219–212, with all Republicans and two Democrats voting against it.

The bill will be returned to the House for reconciliation, which is expected to happen early this week.


Assista o vídeo: Briefing Wicemarszałka Senatu Stanisława Karczewskiego i senatorów PiS


Comentários:

  1. Aescleah

    Obrigado por este post

  2. Arian

    Que palavras adequadas... a frase fenomenal, admirável

  3. Iyioluwa

    Esta opinião valiosa é notável



Escreve uma mensagem